terça-feira, 27 de setembro de 2011

Avanços tecnológicos perturbam matança sistemática de bebés

Sem surpresa algum, o rápido avanço da tecnologia está a causar contorções lógicas entre as feministas pró-aborto.

O Conselho Europeu está a considerar uma resolução que recomenda que todos os 47 estados membros - incluindo a Grã-Bretanha - dêem instruções no sentido de "reter informação em relação ao sexo do bebé" aos pais.

Este gesto é uma tentativa de prevenir o aborto selectivo que está a atingir proporções preocupantes em algumas ex-repúblicas soviéticas.

Uma pesquisa recente revela que algumas unidades hospitalares inglesas já se recusam a partilhar essa informação.


Que pena que os cientistas nunca chegaram a descobrir o tal gene homossexual. Se eles o tivessem feito, nós seríamos apresentados com um espectáculo de "lógica" onde as mulheres só teriam "o direito a escolher" desde que estivessem a gerar um bebé heterossexual.

Não deixa também de ser interessante que o "direito" da mulher em relação ao "seu" corpo não albergue o conhecimento do que está nele. Ou seja, o bebé é o "corpo dela" mas ela não tem o "direito" de saber o sexo daquele que é o "corpo dela".

Sem comentários:

Publicar um comentário

Se vai comentar para defender a legalização do aborto veja primeiro este video. Caso mantenha a decisão de comentar para apoiar a legalização da matança dos fracos e inocentes, escusa de perder tempo. O seu comentário não será publicado.

ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...